Belo Horizonte, segunda-feira, 1 DE junho DE 2020
O melhor jornal de bairro de Belo Horizonte.

RUAS VAZIAS FACILITAM POLUIÇÃO DE NOSSAS ÁGUAS


            O isolamento social, infelizmente, tem gerado em nosso bairro outros problemas além dos já conhecidos, como a grave crise sentida no comércio. Indivíduos estão se beneficiando das ruas quase desertas para cometerem um crime contra a natureza. No Córrego Ponte Queimada, na altura do final da pista de caminhada da Rua Henrique Badaró Portugal, o que encontramos é um grande acúmulo de lixo e, principalmente entulho. Situação que não era tão vista até pouco tempo.

            O Projeto Ambiental Ponte Queimada vem acompanhando a luta dos moradores contra o descarte de lixo irregular às margens do córrego. De acordo com a coordenadora do projeto, Carla Magna, a situação se complica ainda mais na Rua Raul Mourão esquina com Henrique Badaró Portugal,  já no vizinho Palmeiras. Em plena rua principal são amontoados sacos de lixo. "Quando chove todo esse lixo vai parar dentro da casa das pessoas ou no córrego, aumentando, assim, a possibilidade de enchentes que afetam a Avenida Tereza Cristina". 

            Ainda segundo a ambientalista, a comunidade, junto com o projeto, já realizou algumas reuniões com a Regional Oeste, projeto Ponto Limpo e SLU. Os trabalhos vinham avançando. Contudo, foram paralisados devido às enchentes do início do ano e agora com a crise do Coronavírus. "O Projeto Ponte Queimada, além das reuniões, já fez um documentário contando a luta dos moradores que cuidam do córrego e também lançou um bloquinho infantil de carnaval que trabalhou a importância da conscientização ambiental".

            Mas, apesar de todo o esforço para punir os poluidores, Carla Magna ressalta que o principal é a conscientização das pessoas quanto ao respeito com as nossas águas. "É lixo, entulho, cadáver de animal, restos de árvores. Tudo jogado no córrego. Além de um crime, esta irresponsabilidade coloca em risco a vida de moradores locais, com inundações como acontece na Tereza Cristina, e à saúde, pois deixar sacos de lixo amontoados em um ponto à beira do córrego pode contaminar a rede fluvial".

            A coordenadora do Projeto Ponte Queimada faz questão de ressaltar que uma nascente que chega limpa no bairro não pode sair desta forma.  "Isso faz com que as pessoas desvalorizem a água. A saída da água no Buritis deveria ser um parque, tão bem cuidada quanto da forma que entrou".

Punições

            O Art. 54 da Lei 9605/98 pune a conduta de quem causar poluição de qualquer natureza em níveis tais que resultem ou possam resultar em danos à saúde humana , ou provoquem a mortalidade de animais ou a destruição da flora. A penalidade é de reclusão de um a quatro anos, além de multa que pode chegar a mais de R$5 mil. Denúncias de crimes ambientes podem ser feitas pelo 156.

O melhor jornal de bairro de Belo Horizonte.

CONTATO

(31) 2127-2428 / (31) 99128-6880
Av. Prof. Mário Werneck, 1360, Lj 401 F, 4º andar, Shopping Paragem, Bairro Buritis - BH/MG
CEP30455-610 E-mail contato@jornaldoburitis.com.br

       
© 2018 Jornal do Buritis. Todos os direitos reservados.
desenvolvido por SITEFOX