› Home  › Notícias  › Notícia

Mantenha residência segura ao viajar

       Na edição de maio do JORNAL DO BURITIS apresentamos uma reportagem mostrando que ainda dá tempo de programar grandes viagens com a família e/ou amigos para aproveitar os feriados prolongados que teremos este ano. Isto, sem contar as tradicionais férias escolares do mês julho e dezembro, que sempre são uma boa oportunidade para realizar um passeio. Entretanto, para que a viagem seja boa mesmo, é fundamental ter a certeza de que, ao retornar, sua residência estará do jeitinho como a deixou. Para evitar uma "visita' indigesta de ladrões é importante que algumas medidas de segurança sejam tomadas.

            Tenente Edney da Silva, comandante do policiamento militar no Buritis, fornece as principais dicas de segurança para um imóvel que ficará alguns dias vazio. A maioria delas remete à necessidade de contar com a ajuda da vizinhança. Por esta razão, destaca a importância de o Buritis, mesmo com toda a sua grande urbanização, tenha costumes típicos de cidade do interior, onde quem mora ao lado faz parte do seu dia a dia.

            Primeira atitude a se tomar é avisar os vizinhos de confiança que você ficará fora por um certo período de dias. Se for de muita confiança, pode até deixar a chave do imóvel com ele. Peça para recolher cartas, jornais e revistas da frente da residência. O acúmulo de correspondências é um sinal muito forte de que ela está abandonada. "Também ligue de vez em quando para conferir se está tudo ok com a segurança da casa".

            Se antes deixar uma lâmpada acesa era uma forma para afastar bandidos, agora virou o contrário. Luz acesa durante o dia indica que a casa está sem ninguém. A nova recomendação é não deixar nenhuma luz acesa. Assim como não deixar cadeados do lado externo do portão. "Se o vizinho puder ir à noite acender a luz e apagar durante o dia seria o ideal. Manter cortinas e persianas entreabertas também é o mais seguro, uma vez que dá a entender que há movimentação na residência", explica o militar.

            Assim como acontece com o carro, onde se tem a preocupação com a manutenção antes de viajar, tenente Edney diz que o mesmo pode acontecer com o imóvel. "Verificar as condições de fechaduras, travas e cercas elétricas caso tenha, é muito importante. Na correria do dia a dia muitas vezes esquecemos de olhar essas situações".

            Por fim, olhe se não há exposto nenhum objeto que possa facilitar a entrada do marginal no imóvel. Escadas, cavaletes e tamboretes, por exemplo, podem servir de apoio para a invasão. "São cuidados extremamente simples que, talvez até por isso, várias vezes passam despercebidos. Tê-los não significa que a casa está livre de qualquer risco, mas dificulta muito a ação e os marginais, normalmente, buscam o alvo mais fácil", conclui.

            Ao vizinho cabe o alerta de que, ao sinal de qualquer atitude suspeita, o 190 deve ser acionado imediatamente.

 
 

Rua Cristiano Moreira Sales, 150, Sala 810, Bairro Estoril - Belo Horizonte - Minas Gerais. CEP: 30.494-360. Telefones: (31) 2127-2428 / (31) 99128-6880