› Home  › Notícias  › Notícia

Pets também precisam usar o cinto

            Um dos momentos mais aguardados pelos pets é um belo passeio no carro de seus donos. Porém, para que este passeio seja repleto de alegria é preciso que algumas medidas de segurança sejam tomadas. Muitas pessoas não sabem, mas o cinto de segurança para animais existe e é obrigatório. De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, o motorista flagrado dirigindo com animais à sua esquerda, entre os braços ou pernas, perde quatro pontos e a infração é considerada média e multa no valor de R$ 195,23.

            O cinto para animais de estimação é simples, uma coleira peitoral, com adaptador que prende ao encaixe do cinto de segurança no veículo.  O equipamento evita que o animal se movimente muito dentro do carro e, em caso de acidentes, não seja arremessado contra o vidro ou até mesmo ejetado para fora do veículo. "É uma segurança para o animal e para o dono. Além de não deixar o pet ser arremessado, ele evita que ele salte em seu colo ou entrelace entre suas pernas. Com o animal solto dentro do carro, muitas vezes o motorista desvia sua atenção para o que ele está fazendo, o que pode acabar causando acidentes", explica a veterinária da Dog's Shop do Buritis, Alessandra Gibelini.

            O cinto é necessário tanto em viagens longas, como em trajetos curtos, como ir até a padaria, buscar os filhos na escola ou levar o animal para o pet shop e veterinário. "Tenho uma cliente que foi multada aqui no bairro, na Mário Werneck, porque o seu cão estava sem o cinto", conta a veterinária.

            Dona do shitzu Tambor, a funcionária pública Deborah de Paula Neves não deixa de colocar o cinto de segurança no seu pet. Basta o cão pular para dentro do carro, que esta é a primeira medida que toma. "Se todos nós temos que usar o cinto, imagina um animal indefeso. Zelo sempre pela segurança dele e também a de todos que estão em meu carro".

            De acordo com Deborah, no início Tambor relutou um pouco, mas agora não tem qualquer desconforto ao colocar o equipamento de segurança. "Ele já vem rapidinho para colocar o cinto. Até parece que sabe que é para sua segurança", brinca.

Como usar?

            Colocar o cinto de segurança no cachorro não é difícil, geralmente é só prender as duas pontas no banco do veículo e então prender as duas outras extremidades no colete que envolve o peito do cão. O procedimento varia pouquíssimo para outros modelos de cintos de segurança para pet, e não envolve qualquer dificuldade para conectá-lo.

            O cinto não custa tão caro (preço médio de R$ 30 a R$ 50) e é mais acessível ao público geral.

            Além do cinto, os animais também podem ser transportados em cadeirinhas e nas já bastante conhecidas caixinhas. "Para viagens longas, em rodovias, as caixinhas são mais seguras, uma vez que o animal não tem qualquer movimento", orienta Alessandra.

 
 

Rua Cristiano Moreira Sales, 150, Sala 810, Bairro Estoril - Belo Horizonte - Minas Gerais. CEP: 30.494-360. Telefones: (31) 2127-2428 / (31) 99128-6880