› Home  › Notícias  › Notícia

Desrespeito piora o trânsito

Desrespeito piora o trânsito

Boa parte dos congestionamentos na avenida Prof. Mário Werneck poderia ser evitado com mais respeito dos motoristas

Assim como é fácil ver as pessoas reclamando do trânsito no Buritis, talvez seja mais fácil ainda verificar que muitos dos nossos motoristas contribuem para esta situação desrespeitando regras elementares do trânsito. Quem passa todos os dias pela avenida Mário Werneck, a principal via de circulação do bairro, com certeza já presenciou um congestionamento muitas vezes causado por um único motorista irregular.

É bem verdade que após a obra de duplicação da Mário Werneck e a criação de baias de estacionamento, o problema foi amenizado. Contudo, de lá pra cá o fluxo aumentou muito e as pistas de rolamento passaram a ser insuficientes para tantos carros. E para agravar o problema, há esses motoristas que param, sem nenhum constrangimento, seus carros onde é proibido, às vezes até em fila dupla, provocando uma fila indiana de carros que estão atrás.

Segundo o porteiro Fábio José Turíbio, que trabalha o dia inteiro em um prédio na avenida Prof. Mário Werneck, ao lado do Banco do Brasil, essas infrações são mais comuns do que podemos imaginar. “Todos os dias, o dia inteiro, há pessoas cometendo esse erro. A gente até fala com eles, mas ou inventam aquela desculpa que é rapidinho ou se irritam. Hoje tem uma maior fiscalização da PM também, que ajuda a manter a ordem, mas mesmo assim é comum eles pararem em fila dupla e até em cima do passeio”.

E realmente não é nenhum exagero dizer que o problema é frequente. Em pouco mais de 15 minutos na avenida, presenciamos cinco motoristas parados na pista de circulação. Uma das motoristas, que não quis se identificar, usou a desculpa clássica: “é rapidinho”. Mas ela, mesmo sabendo do erro que estava cometendo, preferiu jogar a culpa na infraestrutura do bairro. “No horário comercial não tem como parar aqui no bairro. Preciso ir ao banco, mas não tem vaga para estacionar. O jeito é ligar o pisca-alerta enquanto alguém desce do carro e resolve as coisas no banco, como eu fiz”, responde.

Indagada sobre os problemas que isso traz para a circulação de veículos no bairro, a motorista foi categórica ao afirmar que isso é o menos prejudicial. “Há situações muito mais prejudiciais ao trânsito. O que eu faço, todo mundo faz. Se vejo que está causando um problema de verdade, eu saio, dou uma volta e depois volto”, explica a motorista, que mesmo afirmando isso, provocou uma grande lentidão no trânsito.

Segundo outro porteiro, Márcio Castelões, que também trabalha na avenida, a situação é mais complicada no início da manhã. “Muito pais, mas muitos mesmo, deixam seus filhos que estudam, aqui na avenida mesmo, e eles acabam de chegar à escola a pé. Eles nunca preocupam em estacionar o carro, mesmo tendo vagas nas baias. A maioria para na pista de rolamento e fica alguns segundos, o que é suficiente para provocar um grande congestionamento nos horários de maior movimento”, afirma.

Pelo Código de Trânsito Brasileiro, no caso de veículos parados em cima do passeio ou em fila dupla a multa é de R$127,69, mais cinco pontos na carteira. O veículo ainda pode ser removido, sendo o dono responsável pelo pagamento posterior do reboque e taxa de estacionamento no pátio do Detran para poder retirar o veículo. Mas o melhor mesmo é que o recurso da multa seja o último da fila. O primeiro tem que ser o respeito às leis de trânsito e à boa convivência coletiva no espaço público.

 
 

Rua Cristiano Moreira Sales, 150, Sala 810, Bairro Estoril - Belo Horizonte - Minas Gerais. CEP: 30.494-360. Telefones: (31) 2127-2428 / (31) 99128-6880