› Home  › Notícias  › Notícia

Buritis protegido contra a “saidinha de banco”

Buritis protegido contra a “saidinha de banco”

Bairro registra poucos casos do crime, mesmo assim PM cria estratégias para inibir ainda mais ações deste crime que está entre os mais comuns na capital

A Polícia Militar de Minas promete fechar o cerco aos criminosos que aterrorizam os moradores de Belo Horizonte com os assaltos nas "saidinhas de banco". Pelo menos três pessoas são vítimas do crime na capital todos os dias. Para enfrentar o problema, o Comando de Policiamento da Capital (CPC) lançou neste ano uma nova estratégia: nos dias de maior movimentação financeira, entre 28 e 8 do mês seguinte, período em que há maior incidência do crime, haverá reforço de policiais na porta das agências.

No Buritis, bairro que tem a presença das principais agências bancárias, apesar de haver poucos registros deste crime, estas e outras medidas já foram adotadas. De acordo com o comandante da 126ª Cia do 5º BPM, Major Claudinei, a primeira dessas medidas foi uma reunião com os gerentes das agências para uma orientação. “Tivemos uma dificuldade de horários, mesmo assim conseguimos reunir cinco gerentes das nove agências. Passamos orientações para identificar atitudes suspeitas, haja visto que a maioria dos crimes são cometidos com um comparsa que fica dentro das agências; passamos dicas de segurança, além de pedirmos agilidade nas mudanças estruturais e comportamentais”, diz.

Essas mudanças estruturais e comportamentais as quais o major se refere são as aprovadas pela Assembléia Legislativa de Minas Gerais que determinam a instalação de biombos nos caixas para que demais pessoas nas agências não vejam a movimentação financeira dos outros, além da proibição dos celulares dentro das agências, considerada principal ferramenta dos bandidos, já que eles agem em conjunto, um dentro da agência fazendo uma ligação ou mandando mensagem para quem fica do lado de fora, informando a vítima em potencial. A partir daí, quem está de campana próximo à agência, geralmente chega em uma moto e armado, rende a vítima levando toda a quantia.

Mas de acordo com o Major, o grande problema neste crime continua sendo o descuido da própria vítima. Ao contrário de outros crimes, para evitar este bastava que o cliente parasse de sacar grandes quantias. “Hoje há uma infinidade de maneiras para que as pessoas não precisem andar com muito dinheiro. Pagamentos podem ser feitos com cheques, cartões, via internet, entre outros. Qualquer movimentação financeira hoje tem a possibilidade de as pessoas fazerem sem precisar andar com grandes quantias”, ressalta o Major.

Rede protegida

Outra novidade que vem ajudando a coibir este tipo de crime no bairro é a “Rede de Bancos Protegidos”, adotado, por exemplo, pelo Banco do Brasil, na avenida Prof. Mário Werneck. Assim como o programa “Rede de Vizinhos Protegidos”, este também tem como principal modo de operação a interligação entre as agências e a PM. “Na nossa região registramos apenas dois casos deste crime nos últimos meses. Um deles foi à agência da Caixa, no Buritis. Além do bairro não ser muito atrativo para este tipo de crime, já que os bandidos buscam geralmente bairros mais centralizados e agências mais movimentadas, estamos buscando cada vez mais nos manter atentos e medidas de segurança mais eficazes, como esta rede de proteção aos bancos. Estamos sempre buscando também fazer abordagens a suspeitos com motos que ficam circulando próximo às agências. Mas como disse, é preciso a colaboração de funcionários dos bancos, nos mantendo informados sobre quaisquer atitudes suspeitas e, principalmente, dos clientes evitando se tornarem alvos potencias”, afirma Major Claudinei.


Dicas de proteção da PM contra a “Saidinha de Banco”
·         Evite conversar com pessoas estranhas ao seu convívio, dentro e fora do banco;
·         Evite retirar o cartão bancário da bolsa e/ou carteira antes de entrar no banco;
·         Cuidado com a senha. Ela é intransferível e pessoal. Quando necessitar de esclarecimento, recorra aos funcionários identificados da agência;
·         Fique atento ao uso de celulares dentro do estabelecimento bancário. O uso do aparelho ajuda os cidadãos infratores a passar informações sobre os clientes para pessoas fora da agência;
·         Na fila do banco evite que pessoas estranhas tenham conhecimento sobre operações bancárias que você irá fazer;
·         Evite sacar quantias elevadas. Prefira as transações bancárias eletrônicas oferecidas pelo seu banco;
·         Evite contar o dinheiro sacado na presença de outros clientes. Confira o seu recebimento enquanto estiver no caixa;
·         Evite guardar o dinheiro sacado ou a carteira no bolso de trás. Carregue a bolsa na frente do corpo;
·         Procure ir ao banco sempre acompanhado. Isso vale principalmente para os idosos.

 
 

Rua Cristiano Moreira Sales, 150, Sala 810, Bairro Estoril - Belo Horizonte - Minas Gerais. CEP: 30.494-360. Telefones: (31) 2127-2428 / (31) 99128-6880