› Home  › Notícias  › Notícia

Programa de segurança funcionando na prática

Programa de segurança funcionando na prática

Trio suspeito de vários arrombamentos no bairro é apreendido

em flagrante com ajuda da Rede de Vizinhos Protegidos

Por várias vezes o JORNAL DO BURITIS trouxe matérias falando da importância de uma maior integração entre moradores e PM para conseguir evitar crimes no bairro. Um exemplo de sucesso nessa questão aconteceu em dezembro. No dia 13, três adolescentes suspeitos de vários arrombamentos no bairro ao longo de 2010 foram detidos em flagrante depois de terem invadido e roubado mais um apartamento no bairro. Isso só foi possível porque vizinhos do apartamento que estava sendo roubado perceberam o crime, espantaram os assaltantes com muito barulho alertando todo o prédio e a PM agiu rápido.

Segundo o Boletim de Ocorrência da 126ª Cia do 5º Batalhão de Polícia Militar, os três adolescentes, dois de 17 e um de 16 anos usaram do mesmo artifício comum neste tipo de crime. “Eles tocam interfones, verificam se não há moradores nos apartamentos, depois usando uma chave de fenda abrem os interfones, fecham um curto no aparelho para abrir as portarias e portões dos prédios”, relatou a PM na ocorrência.

Após entrar no prédio, os três suspeitos foram até o apartamento da vítima, o 301, foi quando entrou em ação a Rede de Vizinhos Protegidos. Segundo relatou à PM, uma moradora que havia sido assaltada pelo mesmo trio no dia 26 de novembro, estava em casa quando ouviu barulhos na porta de seu apartamento. Como todos os moradores possuem os telefones uns dos outros, dica básica para o funcionamento do programa, a vítima ligou para o vizinho, Dirceu Miranda Júnior, informando que havia um grupo tentando entrar no apartamento dela.

De acordo com Dirceu, já predefinido pelos moradores em reuniões anteriores da Rede de Vizinhos Protegidos, todos que estavam no prédio começaram a fazer barulho e a gritar. “Tenho um buzina marítima que acho que eles estão escutando até agora. Depois que comecei a buzinar e a gritar ‘pega ladrão’, outros moradores foram para as janelas e também fizeram o mesmo. Ligamos para o telefone da 126ª Cia e uma viatura chegou muito rápido e depois e fez a prisão. Temos ainda outras técnicas que ajudaram a perceber que algo de errado estava acontecendo. Eles entraram sorrateiros e a dica é que os moradores façam barulhos com as chaves quando entrarem no prédio. Minha mãe ainda percebeu eles fechando a porta com muita delicadeza, coisa que não é comum em nosso prédio. Tudo isso já havia sido conversado e ajudou para evitarmos o crime”, lembra Dirceu.

Ainda segundo o morador, essa interligação entre os moradores e a PM conseguiu dar uma pouco mais de segurança para a rua. “Esse crime mostrou que a comunidade unida tem como coibir a ação desses marginais. Foi graças ao relacionamento que mantemos entre os moradores é que conseguimos evitar mais um arrombamento. Posso afirmar, com certeza, que a Rede de Vizinhos Protegidos está funcionando bem em nossa rua e é uma ferramenta muito importante para a segurança predial”, ressalta Dirceu.

 

Trio conhecido

Ao longo de 2010, o Buritis foi alvo, segundo estatísticas da PM, de 23 arrombamentos em apartamentos e casas, sendo este um dos crimes mais comuns no bairro. A Justiça aguarda o reconhecimento de moradores, mas a polícia confirma que boa parte desses arrombamentos foi feita pelo trio apreendido em dezembro. Além da vítima que seria alvo do grupo pela segunda vez consecutiva em menos de 20 dias, o trio de adolescentes assumiu que são autores de outros arrombamentos no bairro.

Segundo Dirceu, os três já haviam sido flagrados por ele na porta de sua empresa na avenida José Rodrigues Pereira. “Poucos dias antes do assalto eles estavam em atitude suspeita na porta da minha loja. Como fazemos sempre, eu e os funcionários fomos para a porta. É uma medida que tomamos para evitar que eles nos surpreendam entrando e nos encurralando no estabelecimento. Neste dia eu gravei o rosto de um dos três. E ele, com certeza, estava no assalto ao prédio onde moro”, destaca.

Durante a tentativa de fuga no dia do arrombamento, os três menores jogaram a mochila que estava o pé de cabra usado para cometer o crime em um lote. O trio foi apreendido em flagrante e levado junto com o material apreendido com eles para o Centro Integrado de Atendimento ao Adolescente Autor de Ato Infracional (CIA).

De acordo com a PM, a Rede de Vizinhos Protegido tem contribuído muito para que o local onde ela funciona e tem apresentado uma grande melhoria e redução nos crimes. “É importante que a população se organize, que integrem comunidade e a Polícia Militar para planejamento conjunto do emprego policial buscando melhorias na segurança e divulgação de informações importantes. Esta aproximação tem sido extremamente benéfica para todos os envolvidos, resultando em um ambiente mais seguro e pacífico onde comunidade e polícia estão em sintonia trabalhando para atingir um objetivo único: a paz social e a melhoria da qualidade de vida dos participantes. Para isso, basta o interessado procurar a unidade da PMMG mais próxima da residência, pessoalmente ou por telefone e se informar sobre o projeto. No caso do Buritis, o contato é feito pela 126ª Cia pelo telefone: 3378-1332. Foi graças a vizinhos atentos que esse crime não se consumou”, ressalta o major Claudiney, comandante da 126ª Cia do 5º BPM.

 

 
 

Rua Cristiano Moreira Sales, 150, Sala 810, Bairro Estoril - Belo Horizonte - Minas Gerais. CEP: 30.494-360. Telefones: (31) 2127-2428 / (31) 99128-6880