› Home  › Notícias  › Notícia

Lixo e chuva: combinação perigosa para o bairro

Lixo e chuva: combinação perigosa para o bairro


Comerciantes reclamam da quantidade de lixo jogado nas ruas do Buritis; com período chuvoso aumenta responsabilidade para evitar entupimento de bueiro e alagamentos


Com a chegada do período chuvoso, um problema comum de nossa cidade volta a aparecer. O lixo jogado nas ruas, ou ainda, entulhado pelas esquinas da cidade em horários irregulares começa a ser arrastado pela água sentido ao primeiro bueiro que encontra pela frente, resultando no entupimento e, consequentemente, nos alagamentos.


No bairro, bastou a primeira chuva para que este triste retrato aparecesse. Um exemplo disso é o constante acúmulo de lixo na avenida Professor Mário Werneck, esquina com rua Victorio Magnavacca. Em cima da calçada no local, comerciantes insistem em colocar caixas e sacolas de lixo e acabam se tornando também pontos para moradores e pedestres jogarem seus lixos.


Com a chuva que caiu no  dia 28 de setembro, todo o lixo acumulado no local foi arrastado para o bueiro que fica em frente ao Shopping Espaço Buritis. “Era dia de coleta, mas pelo fato do caminhão de lixo não ter passado na hora certa, veio a chuva e acabou arrastando todo o entulho com ela, parando somente no bueiro”, destaca o empresário, Marcelo Lúcio, proprietário da Villa Kidz, localizada na galeria que fica no local onde há o problema.


De acordo com Marcelo, o desrespeito já começa exatamente pelos próprios comerciantes. “Há alguns lojistas que insistem em colocar o lixo qualquer dia da semana e em qualquer horário. Todos já foram avisados dos dias de coleta, inclusive isso já foi motivo até de discussão. Mesmo assim, eles insistem em desrespeitar”, afirma.
Um dia em específico desse ato contínuo de desrespeito e falta de educação chamou a atenção do empresário. “Os dias de coleta são terça, quinta e sábado. O desrespeito é tão grande de alguns lojistas que teve um dia que o caminhão de lixo passou, recolheu, e logo em seguida funcionários de uma loja jogaram o lixo. Fiz questão de pegar esse lixo e colocar na porta deles. É falta de bom senso. Eles sabem que o lixo só seria recolhido na terça-feira, passando todo o fim de semana com os dejetos jogados na rua”, lembra Marcelo.


Além da falta de consciência dos lojistas, o empresário aponta o problema da coleta como outro fator que provoca a sujeira. “É o mesmo sistema de coleta desde que o Buritis foi criado. O bairro cresceu muito e isso deve ser revisto. Outros bairros com a mesma infraestrutura têm coleta todo os dias. Tenho uma loja no Funcionários, por exemplo, onde colocamos todos os dias à tarde o lixo pra fora e pela manhã está sem nenhum vestígio de sujeira. Precisamos de mais dias de coleta”, reivindica.


COLETA


De acordo com a Superintendência de Limpeza Urbana (SLU), a coleta não é feita por bairros, mas sim por distritos de coletas, definidos por planejamento da SLU. Estes distritos podem ser compostos por vários bairros ou, até mesmo, por metade de um bairro, que depende de vários fatores, entre eles da quantidade de resíduos e de moradores.


Com isso, no caso do Buritis, o horário de coleta é entre 8h às 17h. Porém, cada rua tem seu horário previsto, sendo que na Mário Werneck com Victorio Magnavacca, ponto onde há o problema, o horário de coleta é entre 10h30 e 11h30, nas terças, quintas e sábados. A SLU solicita ainda, para que sejam evitados tais problemas, que moradores e comerciantes coloquem seus lixos nos pontos uma hora antes do horário de coleta. Sobre a sugestão da coleta ser feita mais vezes por semana, a SLU explica que a demanda no bairro é quem define isto. No caso do Buritis, os três dias por semana são suficientes, de acordo com o órgão.

 
 

Rua Cristiano Moreira Sales, 150, Sala 810, Bairro Estoril - Belo Horizonte - Minas Gerais. CEP: 30.494-360. Telefones: (31) 2127-2428 / (31) 99128-6880