› Home  › Notícias  › Notícia

Incêndios castigam o Buritis

Incêndio atinge lotes
 e matas no Buritis


Com a escassez de chuvas nesta época, a força do sol, a baixa umidade do ar e, principalmente, a ação criminosa do homem, bairro é castigado por incêndios

 
Se no início do primeiro semestre nossa cidade sofre por causa das inundações provocadas pelo excesso de chuvas, mas também pela falta de respeito da população que insiste em jogar lixos nas ruas entupindo bueiros, no início do segundo semestre, com o fim do período chuvoso e o início da seca, entra em cena outro drama na nossa cidade: as queimadas, que mais ainda que nos casos das inundações, são de grande responsabilidade, ou melhor, de irresponsabilidade dos moradores.
 
Na edição de agosto do JORNAL DO BURITIS, nós já fazíamos o alerta para o problema. Todos os dias são matérias e matérias nos noticiários que mostram a devastação das matas pelo país afora colocando em risco animais da fauna silvestre além de vegetações típicas e de preservação natural.
 
E no Buritis não é diferente, ou melhor, é ainda mais preocupante. Se por um lado o bairro ainda possui uma boa quantidade de áreas verdes, por outro aumenta ainda mais o risco e o dever da comunidade em preservar e cuidar dessa nossa riqueza. Para se ter uma ideia do quão grave está a situação no bairro, em apenas 15 dias de agosto, os bombeiros registraram pelo menos 16 focos de incêndio no bairro.
 
No mais grave deles, um incêndio de grandes proporções atingiu parte da mata da Copasa, na divisa do Buritis com o Estoril, na noite de quinta-feira, dia 19 de agosto. O incêndio aconteceu na avenida Raja Gabaglia, próximo à entrada para o bairro na José Rodrigues Pereira.

As chamas consumiram todo o lado que fica de frente para a Raja Gabaglia além de ter atingido parte da Reserva do Cercadinho, a área de preservação ambiental mais importante da nossa região, que inclusive abriga uma nascente de rio. Outra preocupação neste incêndio foi com a força das chamas que ameaçou casas próximas à mata e à rede elétrica, o que felizmente não aconteceu evitando que a tragédia fosse ainda pior.
 
Irresponsabilidade

E quando dizemos que maioria desses incêndios acontece pela irresponsabilidade das pessoas, de acordo com os bombeiros, a provável causa desta queimada foi um guimba de cigarro jogado por quem passava pela Raja Gabaglia. Os outros incêndios registrados no bairro, em menores proporções, aconteceram em lotes vagos, mas que também colocou em ameaça vizinhos que nada têm a ver com a irresponsabilidade dos donos desses locais.
 
O fato é que nesta época, com o sol forte e a umidade do ar baixa, aumenta a responsabilidade dos moradores do bairro. Para evitar as queimadas, os terrenos baldios têm que ser limpos constantemente, a prefeitura tem que fiscalizar mais, mas acima de tudo, a sociedade tem que ter educação e solidariedade com os outros moradores do bairro.
 
A Legislação não proíbe a realização de queimadas, mas impõe condições para que elas aconteçam da maneira mais segura possível. É importante saber que toda queimada precisa ser autorizada previamente pelo Instituto Estadual de Florestas, o IEF.
 
Segundo o Cabo do Corpo de Bombeiros, Adilson Alves de Souza, com um pouco de responsabilidade e seguindo corretamente as dicas, é mais fácil evitar este problema. “Muitas pessoas ainda tem o péssimo hábito de colocar fogo no lote para limpar o terreno e isso é errado. Ação criminosa e descuido das pessoas também são outros fatores que mais acontecem. A conscientização das pessoas é um importante passo para a prevenção e pode ser feita nas escolas, imprensa, instituições sociais. Para isso, é importante aproveitar cada oportunidade para divulgar os riscos e prejuízos causados pelo fogo”, conclui.
 
 
DICAS PARA EVITAR QUEIMADAS:
 
·                           Evite jogar lixo em terrenos baldios ou lotes vagos. Pode haver algum vidro e quando a luz do sol incide sobre ele pode causar queimadas;
·                           Nunca jogue guimbas de cigarros nesses lugares;
·                           Nunca ponha fogo no lixo domestico. Ensaque-o e entregue ao caminhão de lixo;·                           Construir aceiro em torno da área a ser queimada, que deve ter, no mínimo, 3 metros de largura (essa largura deve ser duplicada nos casos de áreas florestais, de vegetação natural, de preservação permanente e das protegidas pelo Poder Público);
·                           Providenciar pessoal treinado, com equipamentos apropriados, para atuar no local da queima, evitando que o fogo passe dos limites estabelecidos;
·                           Avisar aos vizinhos a data e a hora de realização da queimada;
·                           Ao ver um lote ou terreno baldio descuidado ligue para a regional e denuncie. O telefone é o 3277-7014 ou 3277-6808.
 
O que é proibido?

*Fazer queimadas a menos de 15 metros dos limites das faixas de segurança das linhas de transmissão e distribuição de energia elétrica;
*Numa faixa de 100 metros ao redor da área de domínio de subestação de energia elétrica;
*Numa faixa de 50 metros ao redor de unidades de conservação.

 

 
 

Rua Cristiano Moreira Sales, 150, Sala 810, Bairro Estoril - Belo Horizonte - Minas Gerais. CEP: 30.494-360. Telefones: (31) 2127-2428 / (31) 99128-6880