› Home  › Notícias  › Notícia

Banda Chaparrall: eles estão de volta

Chaparrall: eles estão de volta


No mês em que se comemora o Dia do Músico, o JORNAL DO BURITIS conta a história de um dos grupos de maior sucesso já formado no bairro: a banda Chaparrall, que volta aos palcos depois de sete anos separados
 
Não é surpresa pra ninguém que o nosso bairro é um verdadeiro celeiro de talentos. Ao longo dos mais seis anos do JORNAL DO BURITIS, mostramos e valorizamos os mais variados tipos de artistas que o bairro abriga, seja através da música, teatro, dança, entre outros. Mas o que pode ser novidade para muitos é que um dos grupos de maior sucesso já formado por integrantes moradores do bairro está de volta aos palcos.
 
Desde o início do ano, a banda Chaparrall, que além do estúdio no Buritis, tem ainda como moradores três integrantes: Guilherme, Marquito e Didi, e que foi um verdadeiro sucesso nos palcos de BH, do interior de Minas e de muitos estados do Brasil no fim da década de 1990 e início dos anos 2000, está de volta. Depois de sete anos com os quatro integrantes fazendo carreira solo, para alegria dos amantes da música sertaneja eles voltaram a se reunir e, aos poucos, vem retomando o ritmo de antes, levantando o público com suas baladas e enchendo as casas de shows por onde passam.
 
Criada em 1997, a banda, que no início levava à risca o estilo “Country Americano”, foi ganhando projeção e, com a demanda do mercado, se adaptou, incorporando diversos outros estilos, como Pop, Rock e MPB, mas sempre com um foco no sertanejo. A partir de 1999, começou a ganhar um público específico, que até então não existia, mas que ficou nos últimos anos bastante conhecido como o “Sertanejo Universitário”.
 
“Em determinado momento começamos a fazer muito shows pelo interior e vimos que tínhamos que nos adaptar. Aportuguesamos as letras das músicas country, misturamos as influências que tivemos de pais e avós com a música sertaneja e vários outros estilos e resultou em um som que agradou muito. Fazíamos um pouco do que hoje é conhecido como ‘Sertanejo Universitário’. A diferença é que isso foi há dez anos”, explica a vocalista do grupo, Nolli.
 
Uma prova desse pioneirismo do novo estilo musical está em uma das composições da banda. Em um disco independente em 1999, o Chaparrall lançou a música “Caso Marcado”, também conhecida como “Palavras de Amor”, escrita pelo integrante do grupo Marquito em parceria com o compositor Christian Weber. “Com ‘Caso Marcado’ nossa carreira ganhou uma projeção que extrapolou os limites de Minas. Em 2000 tocamos em Barretos e essa música entrou na coletânea do CD oficial da Festa. A partir de então foram aparecendo mais e mais shows, cada vez com mais sucesso”, lembra o vocalista e violonista Guilherme.
 
Em 2001, o Chaparrall chegou ao auge de sua carreira. Fechou contrato com a gigante gravadora Abril Music e a agenda do grupo manteve-se sempre lotada. “Se depois de tocarmos em Barretos nossa projeção já tinha ficado muito grande, depois da gravação do CD começamos a fazer sucesso mesmo. Ampliamos mais os shows fora do Estado, aumentamos o número de apresentações, chegando a ter mais de 20 shows em um mês”, destaca Guilherme.
 
Paralelamente ao sucesso, a banda jamais esquecera as raízes, sempre voltando ao Buritis quando possível. “Naquela época era fantástico. Quando começamos, o Buritis não era, nem de longe, o bairro populoso que é hoje. Na rua onde a mãe do Didi morava, na Prof. Miguel de Souza, não tinha nenhum prédio, eram árvores e mato para todos os lados, animais, um bairro realmente muito agradável, tanto que acabamos mudando pra cá”, recorda Marquito.
 
Porém, em meio a tantos shows e ao sucesso cada vez maior, por causa de um problema com a gravadora e discussões internas entre os integrantes da banda, o sucesso do Chaparrall foi interrompido precocemente. Em dezembro de 2002, os integrantes se reuniram e decidiram fazer uma “pausa” do grupo. “Pela falta de preparo e por não sabermos a dimensão que tinha o Chaparrall, resolvemos dar um tempo. Mas como a música está mesmo no nosso sangue, todos partimos para a carreira solo. A Nolli gravou quatro discos neste período, o Marquito e o Didi juntos gravaram três discos e um DVD e eu, dois discos”, relata Guilherme.
 
Ao todos foram exatos sete anos separados, de 23 de dezembro de 2002 a 23 de dezembro de 2009, mas neste período não faltaram pessoas, mesmo apoiando a decisão do grupo, pedindo sua volta. “Era sempre a mesma coisa. Os fãs, os formadores de opinião nos apoiavam, mas sempre com uma interrogação no fim: ‘e o Chaparrall?’”, lembra Guilherme.
 
E foi por causa desse apelo e de uma pessoa apenas descrita como “o anjo do grupo”, que o Chaparrall decidiu retornar e encarar o novo desafio de reconstruir a carreira e buscar mais uma vez o sucesso. “Em janeiro deste ano avisamos o nosso retorno, saímos disparando e-mails e releases e a cada dia estamos resgatando e conseguindo aos poucos a confiança e o carisma do público. Regravamos o nosso grande sucesso ‘Caso Marcado’ que em poucas semanas voltou a ser uma das dez mais tocadas da Liberdade FM, como aconteceu em 2000; fizemos mais três canções, gravando um single com quatro faixas, que inclusive pode ser baixado no nosso site, incluindo nossa nova música de trabalho ‘Vai e Vem’”, afirma Nolli.
 
Sobre a dificuldade que vão enfrentar, depois de sete anos separados, os quatro integrantes do grupo são categóricos ao afirmar que o desafio vale a pena. “Hoje estamos mais experientes, sabemos que queremos muito alavancar o Chaparral. Com a somatória de forças de nós integrantes, do público que já demonstrou confiança no nosso retorno, estamos reconquistando nosso espaço. Além disso, nunca estivemos com o astral tão alto como agora. Está muito prazeroso, e por mais difícil que seja recomeçar, é mais fácil que qualquer término”, conclui Guilherme.
 
SERVIÇO:
Para conhecer os novos trabalhos da banda e mais detalhes, basta entrar no site
www.chaparrall.com.br. E para os moradores do Buritis que quiserem assistir a shows ao vivo é ainda mais fácil. O grupo se apresenta todas as quintas-feiras na casa de shows Alambique, bem pertinho aqui do bairro, na avenida Raja Gabaglia, 3200, Estoril. O telefone de contato do grupo é 9275-0266.

 

 
 

Rua Cristiano Moreira Sales, 150, Sala 810, Bairro Estoril - Belo Horizonte - Minas Gerais. CEP: 30.494-360. Telefones: (31) 2127-2428 / (31) 99128-6880