› Home  › Notícias  › Notícia

Seis anos de conquistas - REPORTAGEM ESPECIAL

O JORNAL DO BURITIS completa seis anos de vida. Em uma matéria especial você poderá relembrar algumas das dezenas de melhorias conquistadas pelo bairro onde o jornal teve um papel preponderante


     Desde quando surgiu, em março de 2004, O JORNAL DO BURITIS se caracterizou pela sua estreita ligação com o bairro. A principal diretriz do jornal sempre foi dar total prioridade a tudo aquilo que pode melhorar a qualidade de vida da nossa comunidade. Por esta ligação tão estreita, acompanhando em detalhes tudo o que o Buritis foi passando e evoluindo ao longo dos anos, o JB se consolidou como um verdadeiro porta-voz do bairro. Ao longo desses seis anos, completados neste mês, foram muitas lutas e conquistas, mostrando o poder que um veículo de comunicação tem, principalmente quando o trabalho é feito com seriedade e compromisso.
     E talvez seja por isso que o JB conseguiu atingir sua excelência, se tornando um dos principais veículos de comunicação comunitários da capital, finalista em três edições do prêmio PQN (concedido aos profissionais da área de comunicação) como melhor jornal de bairro da cidade, vencendo em uma das oportunidades, 2007, e sendo segundo colocado em outras duas edições, 2006 e 2008.   
     E foi seguindo à risca a linha editorial de um meio de comunicação comunitário que o JORNAL DO BURITIS conseguiu essa credibilidade junto aos órgãos especializados de comunicação, anunciantes, órgãos públicos e, principalmente, junto aos moradores, que vêem no jornal uma das formas para se buscar as melhorias almejadas pelo bairro.
     Já na sua primeira edição, o jornal publicou como matéria principal aquela que era na oportunidade a principal reivindicação dos moradores do bairro: a ligação entre as avenidas Mário Werneck e Barão Homem de Melo. A obra estava parada desde 1986 e voltou a ter a devida atenção por causa das nossas reivindicações junto com a comunidade. Depois da matéria, o assunto foi tema em outras cinco edições do jornal. Em 2006, a prefeitura finalmente entregou a obra e a comunidade passou a contar com mais uma importante via de acesso e saída do bairro.
     Outra obra reivindicada e conseguida para o Buritis foi o recapeamento da rua José Rodrigues Pereira, a principal via de acesso do Buritis. Desde a edição de julho de 2004, o jornal já alertava para o estado precário do asfalto da via. Buracos, pavimentação irregular, falta de sinalização, tudo isso colocava em risco a segurança dos motoristas.

     Em julho de 2007, a reivindicação começou a ser atendida pela Prefeitura e a José Rodrigues não recebeu apenas um simples recapeamento. Todo asfalto foi retirado e um novo foi implantado em toda a extensão da via — cerca de 1,5 quilômetros – que vai da avenida Mário Werneck até a avenida Raja Gabaglia. Além do asfalto novo, foi implantada uma faixa a mais na direita da via para quem segue no sentido BH Shopping, o que diminuiu e muito os congestionamentos no local.
 
     Outro problema que foi abordado pelo jornal ao longo dos seis anos e que teve a obra concluída foi o alargamento da ponte que fica quase no cruzamento da Mário Werneck com rua Paulo Piedade Campos e Heitor Menin, (ao lado do Restaurante Rancho Fundo) a principal via de ligação do Buritis com o Estoril. Uma outra obra também foi pauta em diversas edições do jornal. Em cinco oportunidades mostramos passo a passo o alargamento e modernização da avenida Professor Mário Werneck, entre a rua Engenheiro Alberto Pontes e praça Aroldo Tenuta (rua Marco Aurélio de Miranda).
 
     Entre as principais mudanças neste ponto da via, estão as baias de estacionamento que possibilitaram a criação de mais duas pistas de rolamento, uma subindo e a outra descendo a avenida, o que ajudou a desafogar o trânsito no local. Estivemos presentes também na modificação da avenida Professor Mário Werneck, pista dupla para pista única no sentido centro-bairro, no trecho compreendido entre as ruas Engenheiro Carlos Goulart e José Rodrigues Pereira.
 
     Vale lembrar também das constantes mudanças no trânsito, que muitas vezes aconteceram pela reivindicação do jornal e da comunidade. Ao longo dos seis anos foram dezenas de matérias sobre o assunto, que continua sendo um dos grandes problemas, não só do bairro, mas de toda cidade.
 
     Em 2009, foram pelos menos quatro matérias sobre o tema. Uma delas foi sobre o questionamento se é a hora ou não da implantação do sistema rotativo no bairro. Uma outra foi sobre a “carona solidária”, matéria que repercutiu positivamente no bairro, com vários moradores, inclusive, entrando em contato com a redação do JB pedindo informações de pessoas que se propuseram a fazer parte do programa, que, além de diminuir carros nas ruas, ainda ajuda na economia de combustível.
 
De olho na segurança 
 
     Nem só de reivindicações de obras viárias o jornal se pautou ao longo desses seis anos. Neste aspecto vale ressaltar as várias reportagens que já fizemos falando sobre os problemas de segurança no bairro. Em maio de 2006, a matéria de capa do jornal foi assinada com o seguinte título: “Clima de insegurança ronda o bairro”. A reportagem traçou um perfil completo dos principais tipos de ocorrência que aconteciam no bairro e cobrou maior agilidade e eficiência da Polícia Militar.
 
     Em setembro de 2006 o jornal também publicou uma matéria alertando sobre um tipo de assalto que frequentemente acontecia no bairro: o assalto da mudança. Na época, a nossa delegacia registrava várias ocorrências deste tipo de crime. O ladrão alugava um caminhão parecido com o de mudança, invadia a casa do morador e levava tudo na maior tranquilidade. Os vizinhos nada faziam, pois pensavam que realmente estava acontecendo uma mudança. Felizmente, segundo o nosso delegado, este tipo de crime hoje praticamente não acontece mais no bairro.
 
     Em 2009 um outro assunto ligado a segurança também foi tema de reportagens no jornal: o constante número de furtos de rodas de carros, até mesmo dentro de prédios do bairro. Após as denuncias, inclusive de moradores reclamando da falta de vigilância e prevenção da PM, o policiamento aumentou em várias ruas secundárias do bairro, além da matéria ter ajudando a traçar o perfil dos bandidos contribuindo para que a polícia identificasse e prendesse uma gangue que agia na região.
 
Questão de respeito
 
     Porém, durante a sua trajetória o JORNAL DO BURITIS não cobrou providências apenas das autoridades. O JB abordou também a questão da convivência urbana e procurou conscientizar os moradores sobre a necessidade de se respeitar as leis que regem a vida em comunidade. Nesse aspecto, é necessário lembrar as várias matérias que fizemos sobre o constante desrespeito ao Código de Posturas em nosso bairro cometido pelos próprios moradores e empresários.
 
     Na matéria de capa da edição nº 63, em maio de 2009, intitulada “Onde está a postura?” mostramos todos os tipos de irregularidades que o bairro enfrenta simplesmente pela falta de educação e cuidado com o Buritis. São infrações no trânsito, lixo e entulho nas ruas, outdoors irregulares e, é claro, as faixas, as grandes sujonas do bairro. Elas foram alvo de várias matérias do JORNAL DO BURITIS, inclusive ajudando a prefeitura a identificar e punir os infratores.
 
     Em 2009, acompanhamos ainda todos os detalhes do desenrolar da III Conferência Municipal de Políticas Urbanas, que terminou com saldo bastante positivo para o bairro em se tratando de qualidade de vida, já que a partir de agora obras serão menores no bairro, mudando a Zona de Adensamento Preferencial para Restrita, diminuindo o coeficiente de construção no bairro; uma grande vitória do JORNAL DO BURITIS e de toda a comunidade que lutou e sonhou com essa mudança, que deverá ser homologada na nova Lei de Uso e Ocupação do Solo em tramitação na Câmara.
 
     Os exemplos acima, caros leitores, são apenas pequenas provas do que é possível fazer quando há compromisso, não só do jornal, mas também de cada morador do Buritis, nas reivindicações junto aos órgãos competentes. A credibilidade que hoje o JORNAL DO BURITIS  desfruta é graças a esse trabalho e à confiança que todos depositam, sempre pensando nas melhorias que podemos alcançar se trabalharmos juntos. É com este pensamento que hoje o JB alcança a marca de seis anos e de 73 edições, sonhando ainda em estar por muitos anos ao lado do bairro e da comunidade para conquistarmos vitórias ainda maiores e mais audaciosas.

 
 

Rua Cristiano Moreira Sales, 150, Sala 810, Bairro Estoril - Belo Horizonte - Minas Gerais. CEP: 30.494-360. Telefones: (31) 2127-2428 / (31) 99128-6880