› Home  › Notícias  › Notícia

Uma afronta ao bairro - EDITORIAL FEVEREIRO 2010

     Já há algum tempo, o JORNAL DO BURITIS tem denunciado em diversas reportagens o constante desrespeito à lei que proíbe a colocação de faixas em espaços públicos e coletivos, conforme determina o Código de Posturas do município. Em todas as oportunidades em que publicamos matérias sobre o assunto, as faixas irregulares diminuíam consideravelmente. Porém, depois de um determinado tempo, a fiscalização afrouxava e elas voltavam a poluir o bairro com toda a força.

     Na edição passada voltamos a abordar o assunto, desta vez com mais veemência. Não apenas pelo compromisso do jornal em denunciar o que acontece de errado no bairro, mas também porque fomos estimulados por dezenas de moradores que, através de emails e telefonemas, também manifestaram indignação com o uso abusivo de faixas irregulares no bairro e, consequentemente, o permanente desrespeito à lei.

     Quando foram abordados pela reportagem do jornal, muitos dos comerciantes e pessoas físicas que utilizam desse instrumento para divulgar os seus produtos alegaram desconhecimento da lei. Lamentavelmente, neste mês de fevereiro pudemos constatar que se tratava, na verdade, de uma grande e deslavada desculpa esfarrapada, com o perdão da rima.

     O caso mais emblemático é o da loja de calçados Ahaze, de longe a que mais desrespeita a lei no que se refere a este tipo de propaganda irregular. Conforme você pode conferir na página 7, no dia 5 deste mês a fiscalização da Regional Oeste retirou seis faixas da loja que estavam ao longo da avenida Mário Werneck. Ato contínuo, a fiscal foi até a loja e aplicou uma multa no valor de R$2.430,00, R$405,00 por faixa.

     Como se não bastasse a colocação de faixas irregulares, a fiscalização da regional também constatou que a loja está em situação irregular. O alvará consta que se trata de uma empresa de consultoria em gestão empresarial, quando na verdade funciona no local um comércio de produtos femininos. Pelo visto, burlar a lei não é uma exceção, mas sim a regra.

     O pior de tudo é que, já no dia seguinte, sábado, 6 de fevereiro, lá estava a Avenida Mário Werneck novamente poluída pelas faixas da Ahaze. No dia 10, quarta-feira, a regional voltou a retirar as faixas e aplicou novas multas à loja. Desta vez em dobro, por tratar-se de reincidência. Mas nada disso adiantou No dia 11 as tais “amarelinhas” voltavam a poluir a principal avenida do bairro. Pode parecer inacreditável, mas o JORNAL DO BURITIS e a regional Oeste possuem todos estes fatos devidamente registrados.

     É lamentável que um fato como este ocorra em nosso bairro. O que o JORNAL DO BURITIS tem a dizer aos seus leitores é que a Ahaze, assim como outros estabelecimentos que insistem neste tipo de propaganda irregular, não está apenas desrespeitando a lei. Não está apenas forçando a prefeitura a gastar o dinheiro público para retirar as faixas e diminuir a poluição visual no bairro. Não está apenas se valendo da Lei de Gérson, que tem levar vantagem em tudo. Esta loja está, acima de tudo, afrontando o Buritis e os seus moradores. 
 

 
 

Rua Cristiano Moreira Sales, 150, Sala 810, Bairro Estoril - Belo Horizonte - Minas Gerais. CEP: 30.494-360. Telefones: (31) 2127-2428 / (31) 99128-6880